Domingo, 27 de Abril de 2008

Já agora algo sobre a verdade

 A verdade é que a verdade está em cada um de nós. Depende de nossas vivências, nosso conhecimento, experiência e bagagem. Cada pessoa possui sua própria verdade, e tudo aquilo em que uma pessoa acredita passa a ser a sua verdade. O que nós não podemos fazer é "parar" no tempo, nos fechar para outras possibilidades e idéias, pois o que hoje acreditamos ser o correto, pode ser provado amanhã o contrário. Na busca intelectual de fatos e verdades, devemos ser honestos com nós mesmos.

publicado por mats1948 às 11:27
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Sexta-feira, 25 de Abril de 2008

Equação Egícpia

 

As notações simbólicas empregadas pelos matemáticos têm sofrido  profundas modificações através dos séculos.

 

Equação egpícia

 

A figura acima representa uma equação algébrica escrita pelos sábios egipcíos, do tempo dos faraós, dois ou três milénios antes de Cristo.

Essa equação, em linguagem actual, é a seguinte:

 

x/2 + x/4 + x = 10

 

publicado por mats1948 às 13:25
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Sexta-feira, 18 de Abril de 2008

Porque não existe Nobel da Matemática?

Todos os anos são atribuídos seis Prémios Nobel, um em cada uma das seguintes categorias: Literatura, Física, Química, Paz, Economia, e Psicologia e Medicina. Mas, estranhamente, a Matemática está fora desta lista! 

    A razão desta distinta ausência tem sido objecto de muitas especulações. Uma das mais comuns e infundadas razões que terá levado Nobel a não atribuir um prémio à Matemática tem a ver com uma mulher a quem ele terá proposto que fosse sua esposa ou amante. Ela tê-lo-ia recusado em detrimento de um matemático famoso. Gosta Mittag-Leffler (1846 - 1927) é muitas vezes indicado como sendo a parte culposa. 

    Não há porém evidências históricas que apoiem tal afirmação. Em primeiro lugar, o Sr. Nobel nunca casou. Além disso, há outros motivos, mais credíveis, para explicar porque razão não há Prémio Nobel para a Matemática. Talvez que o mais válido entre eles seja o simples facto de o Sr. Nobel não dar muita importância à Matemática, de esta não ser considerada uma ciência da qual a humanidade pudesse beneficiar (principal motivo da criação da Fundação Nobel). 

publicado por mats1948 às 22:13
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Segunda-feira, 14 de Abril de 2008

Ida ao Shopping

publicado por mats1948 às 09:04
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Domingo, 13 de Abril de 2008

A Matemática e a mulher

A MATEMÁTICA E A MULHER
De todas as ciências do nosso conhecimento,
É a matemática com certeza que alcança,
Com a mulher a mais perfeita semelhança.
Isto percebemos todo dia e a todo o momento!

Observem na matemática o seu elegante,
E sinuoso entrelaçar de valores e figuras,
Os belos e práticos algoritmos às mais puras,
Acepções de cada teorema sutil e atraente...

Cuja descoberta envolve tempo e paixão!
Tal qual na relação com a mulher amada...
Sempre nos trazendo surpresas ao coração!

Mas a semelhança dizem vozes abalizadas:
É que delas ninguém logra entender nada...
Tem regras, problemas e são complicadas!

Vr 14/5/2006
Pedro Paulo da Gama Bentes
publicado por mats1948 às 13:29
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Domingo, 6 de Abril de 2008

Matemática na poesia

Mãezinha

 

A terra de meu pai era pequena

e os transportes difíceis.

Não havia comboios, nem automóveis, nem aviões, nem mísseis.

Corria branda a noite e a vida era serena.

Segundo informação, concreta e exacta,

dos boletins oficiais,

viviam lá na terra, a essa data,

3023 mulheres

, das quais

45 por cento

chamando tenra idade

à que vai do berço até à puberdade.

eram de tenra idade,

28 por cento

eram senhoras, daquelas senhoras que só havia dantes.

Umas, viúvas, que nunca mais (oh! nunca mais!) tinham sequer sorrido

desde o dia da morte do extremoso marido;

outras, senhoras casadas, mães de filhos…

(De resto, as senhoras casadas,

pelas suas próprias condições,

não têm que ser consideradas

nestas considerações.)

Das outras,

eram meninas casadoiras, seriíssimas, discretas,

mas que por temperamento,

ou por outras razões mais ou menos secretas,

não se inclinavam para o casamento.

Além destas meninas

havia, salvo erro,

que à meiga luz das horas vespertinas

se punham a bordar por detrás das cortinas

espreitando, de revés, quem passava nas ruas.

Dessas havia

em prédios baixos como então havia,

um aqui, outro além, mas que todos ficavam

no troço habitual que o meu pai percorria,

tranquilamente no maior sossego,

às horas em que entrava e saía do emprego.

Dessas

uma fugiu com o criado da lavoura;

das restantes10 por cento,32,9 que moravam9 excelentes raparigas

5

outra, que veio a ser grande senhora,

teve as suas fraquezas mas casou-se

e foi condessa por real mercê;

outra suicidou-se

não se sabe porquê.

A que sobeja

chama-se Rosinha.

Foi essa que o meu pai levou à igreja.

Foi a minha mãezinha.

 

António Gedeão

morreram novas, de bexigas;
publicado por mats1948 às 14:02
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Fevereiro 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
25
26
27
28

.posts recentes

. ...

. Lembrar

. O ensino da Matemática ao...

. Está a chegar 2009

. É Natal

. Material de trigonometria

. Aula de Matemática

. Romance Ingénuo entre dua...

. O Que é a Matemática?

. Novo ano lectivo

.arquivos

. Fevereiro 2009

. Dezembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

blogs SAPO

.subscrever feeds